quinta-feira, 31 de março de 2011

PARATY - TURISMO MATRIMONIAL EM ALTA !!!!!

OI MENINAS...

O texto não é meu, mas achei interessante e resolvi reproduzir.... afinal Paraty é linda e só as fotos já vale ler a matéria.....

Venha se casar no Brasil: turismo matrimonial em alta em Paraty


Por seu charme, sua cultura e sua cozinha, a Itália é o país que mais recebe casais de outras nacionalidades com a intenção de formalizarem seus casamentos. O turismo matrimonial – não apenas a lua de mel, mas também a realização do próprio evento – parece crescer até mesmo no nosso país. “Há alguns anos eram raros os estrangeiros que buscavam o Brasil como local para o casamento”, diz Milena Moraes, produtora de eventos. “Hoje, recebo um número cada vez maior de pedidos de norte-americanos e de europeus.”

O casal francês Stephanie Morane e Thibaut Roux, ambos de 31 anos, escolheu Paraty como cenário para o mais belo dia de suas vidas. “Quando eu tinha 12 anos de idade, fui a Paraty com primos que moram no Rio. Fiquei encantada com o lugar e, naquele mesmo dia, decidi que iria me casar na cidade colonial”, diz Stephanie. “Quando eu trouxe Thibaut, antes de casar, ele também ficou maravilhado com a cidade.”
 
As ruas empedradas e as casas coloniais criam um ambiente romântico em Paraty, perfeito para o dia das núpcias.
 
A Capela de Nossa Senhora das Dores é a preferida para os casamentos de estrangeiros em Paraty.

Bem mais difícil foi convencer o pai do noivo. O sogro de Stephanie, Maxime Roux, usou diversas estratégias para que o evento fosse realizado em território francês, seja em Paris, onde moram os noivos, ou em um elegante ambiente rural. Mas sonho de adolescente é difícil de ser modificado e os jovens venceram a parada. “Na França teria sido bem diferente. Mas agora estou feliz com a decisão que Thibaut e Stephanie tomaram”, diz o pai do noivo, com uma caipirinha nas mãos, durante a recepção. “Meus amigos adoraram a ideia!”

Após negociar uma tarifa especial com a Air France, os jovens passaram a juntar o rebanho e a vender a ideia que os convidados não iriam a um casamento apenas, mas sim a uma viagem de férias, enfeitada com várias festas. “Queríamos que nossos amigos íntimos e nossos parentes mais próximos estivessem presentes”, afirma Thibaut. “E conseguimos, pois trouxemos mais de 90 pessoas da França e de vários cantos do mundo.” Os amigos conseguiram pedir uma semana de férias e passaram quatro dias no Rio de Janeiro e três em Paraty. Já os mais velhos, muitos deles aposentados, resolveram aproveitar a ocasião para conhecer as Cataratas do Iguaçu, Salvador e até Manaus. Todos ficaram, pelo menos, duas semanas.

Em Paraty, Stephanie e Thibaut se casaram na capela da Nossa Senhora das Dores, aquela reservada, nos tempos coloniais, às mulheres. A capela, com assentos para apenas 56 pessoas, foi pequena para os 110 convidados, 90 de fora e 20 brasileiros. A segunda metade que não se sentou, acabou ficando de pé ou se espalhando pelo coro e pelas sacadas do primeiro andar. O sacerdote francês João Bosco, no Brasil há quatro décadas, rezou a missa no idioma nativo dos noivos e aceitou as pequenas modificações solicitadas pelo jovem casal. “Normalmente, não incluímos a comunhão na cerimônia do casamento, mas esta é a tradição na França”, diz o padre.
 
O casal francês se ajoelha frente ao altar da Capela da Nossa Senhora das Dores: um sonho de adolescente se torna realidade.
 
Os Noivos saem da capela e recebem punhados de grãos de arroz.

Para os europeus, um dos pontos altos da viagem ao Brasil foi o passeio de barco no dia seguinte à cerimônia. Stephanie contratou 14 barquinhos que formaram uma procissão marítima que levou os  convidados a passar o dia na Praia Vermelha. No meio do caminho, para agradecer Iemanjá, todos os participantes – vestidos de brancos – jogaram uma rosa branca ao mar. Stephanie também conseguiu que o sol não parasse de brilhar durante os três dias que estavam em Paraty. “Segui os conselhos de uma amiga brasileira e fiz uma oferenda de ovos para Santa Clara. Deu super certo”, diz ela.
Saída para o passeio marítimo que levou os estrangeiros (e os parentes brasileiros da noiva) até a
Praia Vermelha de Paraty. Ao fundo, a igreja de Santa Rita.

A produtora do evento estima que o grupo de 90 estrangeiros movimentou, entre festas, transporte e hospedagem cerca de 600 mil reais. Paraty, Búzios, Ilha Bela, Angra dos Reis, Ouro Preto e outras cidades charmosas brasileiras possuem hoje um trunfo importante em suas mãos e, mesmo sem a arte e os vinhos italianos, podem seguir o exemplo da Toscana. Basta investir no charme e no amor!

FONTE:http://colunas.epoca.globo.com/viajologia/2011/03/31/venha-se-casar-no-brasil-turismo-matrimonial-em-alta-em-paraty/

BJS e PARATY É UM CHARME MESMO!!!!!

4 comentários:

Déia Moura disse...

eu já estive algumas vezes em paraty e é sempre tão lindo, tão romântico!! ótima opção, seja de festa ou lua de mel!!!

beeijo

http://deinhamoura.blogspot.com/

Nanda disse...

Lindo eu tenho vontade de conhecer paraty...

bjs

Nanda disse...

Lindo eu tenho vontade de conhecer paraty...

bjs

Liliane disse...

Paraty é tudo de bom. Eu adóóóro aquele lugar e adoraria me casar por lá também, caso fosse fazer algo mais informal.
Beijos